Principais defensores da teologia progressista

Apresentamos abaixo uma lista dos principais defensores da teologia progressista, juntamente com suas principais obras.

Walter Rauschenbusch (1861-1918) 

Ele foi um teólogo batista germano-americano considerado um dos fundadores do movimento do Evangelho Social. Ele argumentou que o cristianismo deveria se preocupar com a justiça social e a melhoria da sociedade.

Rauschenbusch acreditava que o Reino de Deus deveria ser estabelecido na Terra por meio da ação coletiva e da transformação da sociedade. Sua obra mais conhecida é “Cristianismo e Crise Social” (Christianity and the Social Crisis), publicada em 1907.

Harry Emerson Fosdick (1878-1969)

foi um ministro e teólogo presbiteriano conhecido por suas visões liberais. Ele argumentou que a Bíblia deveria ser interpretada à luz da erudição moderna e que o cristianismo deveria ser relevante para as necessidades do mundo moderno.

Fosdick defendia uma abordagem mais liberal e inclusiva da fé cristã, questionando interpretações literais da Bíblia e enfatizando a importância da relevância social do cristianismo.

Reinhold Niebuhr (1892-1971)

Ele foi um teólogo protestante germano-americano considerado um dos teólogos mais influentes do século XX. Ele argumentou que o cristianismo deve ser realista sobre a natureza do pecado e do mal no mundo e que deve oferecer uma mensagem de esperança e redenção.

Niebuhr argumentou que o poder e a justiça devem ser equilibrados e que os cristãos devem se envolver nas questões sociais e políticas para buscar justiça e promover o bem comum. Sua obra mais famosa é “O Homem Moral e a Sociedade Imoral” (Moral Man and Immoral Society), publicada em 1932.

Paul Tillich (1886-1965)

Ele foi um teólogo protestante germano-americano considerado um dos teólogos mais importantes do século XX. Ele argumentou que Deus não é um ser ou uma substância, mas sim a base do próprio ser. Ele também argumentou que a religião não é sobre acreditar em certas doutrinas, mas sobre participar da preocupação última da vida.

Sua obra mais conhecida é “Dinâmica da Fé” (The Dynamics of Faith), publicada em 1957.

Jürgen Moltmann (nascido em 1926)

Ele é um teólogo protestante alemão conhecido por seu trabalho sobre a teologia da esperança. Ele argumenta que a esperança é central para a fé cristã e que é a força motriz por trás da missão da igreja no mundo.

Jürgen Moltmann é considerado uma figura importante na teologia progressista e suas ideias continuam a ser discutidas e debatidas dentro do âmbito teológico.

Moltmann desenvolveu sua teologia em meio às experiências traumáticas da Segunda Guerra Mundial e do cativeiro como prisioneiro de guerra. Sua obra mais famosa, “A Teologia da Esperança” (Theology of Hope), publicada em 1964, introduziu uma abordagem teológica que enfatiza a esperança cristã como um fator central para a compreensão da fé e da ação cristã no mundo.

Principais premissas da teologia progressista

A teologia progressista é um movimento amplo e diversificado, e não há um único conjunto de crenças que todos os teólogos progressistas mantenham. No entanto, as principais premissas da teologia progressista podem ser resumidas da seguinte forma:

  1. A) A Bíblia é um produto de seu tempo.

Os teólogos progressistas acreditam que a Bíblia foi escrita por autores humanos que foram influenciados por seu próprio contexto cultural e histórico. Isso significa que a Bíblia não deve ser interpretada literalmente, mas deve ser entendida como uma coleção de histórias, poemas e profecias que podem nos ensinar sobre Deus e a condição humana.

Os teólogos progressistas acreditam que a Bíblia foi escrita por autores humanos inspirados por Deus, mas que não é inerrante ou infalível.

  1. B) Deus é amor. 

Os teólogos progressistas acreditam que Deus é um ser amoroso e compassivo que deseja o melhor para todas as pessoas. Isso significa que Deus não é um Deus de julgamento ou punição, mas um Deus de misericórdia e perdão.

  1. C) O propósito da vida é amar e servir aos outros. 

Os teólogos progressistas acreditam que o propósito da vida é amar e servir aos outros. Isso significa que devemos viver nossas vidas de uma maneira que ajude a tornar o mundo um lugar melhor.

A teologia progressiva é um campo complexo e cheio de nuances, e não existe uma definição única do que significa ser um teólogo progressista.

  1. D) A igreja é chamada a ser uma comunidade de amor e justiça.

Os teólogos progressistas acreditam que a igreja é chamada para ser uma comunidade de amor e justiça e que deve trabalhar para criar um mundo mais justo e pacífico.

Conclusão

Através da premissa “A” os progressistas estão distorcendo ou enfraquecendo os ensinamentos bíblicos ao adaptá-los para se adequarem àqueles que não desejam comprometer-se com as doutrinas bíblicas.

Ao aceitar a ideia de que a Bíblia é um produto de seu tempo, os progressistas estão abrindo espaço para uma interpretação seletiva dos ensinamentos bíblicos, adaptando-os de acordo com suas próprias preferências e com as demandas da sociedade atual.

✍️Artigo: SAJ

Postagens Relacionadas