O poder criador e amor de Deus na criação

O poder criador e amor de Deus na criação

Vamos analisar Gênesis 1:1.

O texto de Gênesis 1:1, em hebraico, é o seguinte:

בְּרֵאשִׁית בָּרָ֣א אֱלֹהִ֑ים אֵ֥ת הַשָּמַ֖יִם וְאֵ֥ת הָאָֽרֶץ׃

Uma tradução literal desse texto seria: “No princípio, criou Deus os céus e a terra.”

bereshit

A primeira palavra do texto, “bereshit”, é geralmente traduzida como “no princípio”. Essa palavra vem da raiz hebraica “reshit”, que significa “início” ou “primeiro”. O uso da palavra “bereshit” sugere que o que está sendo descrito no livro de Gênesis é o início de todas as coisas.

bara

A segunda palavra, “bara”, é traduzida como “criou”. Esta é uma palavra importante, pois é a única palavra no texto que descreve a ação de Deus na criação. A palavra “bara” é usada apenas em relação a Deus, e sugere uma criação ex nihilo, ou seja, a criação do nada. Isso significa que Deus criou o universo sem usar nada que já existia antes.

Elohim

A terceira palavra, “Elohim”, é traduzida como “Deus”. Elohim é um nome comum para Deus no Antigo Testamento e é usado para enfatizar o poder e a majestade de Deus. Elohim é um nome plural, o que sugere a pluralidade de poder ou de personalidade dentro da divindade. Isso pode ser visto como uma indicação da doutrina da Trindade na teologia cristã.

et hashamayim

As próximas palavras, “et hashamayim”, são traduzidas como “os céus”. Essa palavra pode se referir tanto ao céu atmosférico quanto ao céu celestial. No contexto do texto, é provável que se refira ao céu celestial, que é a morada de Deus.

ve’et ha’aretz

As últimas palavras do texto, “ve’et ha’aretz”, são traduzidas como “e a terra”. Isso se refere ao planeta Terra, que Deus criou juntamente com os céus. É importante notar que a terra é mencionada por último, o que sugere que a atenção do autor está focada principalmente no céu e em Deus.

Gênesis 1:1 é o início da narrativa da criação no livro de Gênesis e é um dos versículos mais importantes da Bíblia Hebraica. Ele apresenta a criação ex nihilo de Deus, enfatizando sua majestade e poder, e a criação dos céus e da terra, que são os fundamentos da criação.

Certamente, a criação descrita em Gênesis 1:1 é um testemunho do poder criador de Deus. O texto afirma que Deus criou os céus e a terra, o que sugere que ele é o criador de todo o universo. Além disso, a palavra “bara“, usada para descrever a ação de Deus na criação, sugere que ele criou o universo do nada, sem depender de qualquer matéria pré-existente. Isso ressalta a onipotência de Deus e seu poder para criar tudo o que existe.

No livro de Jó, Deus é descrito como aquele que “estende o norte sobre o vazio e suspende a terra sobre o nada” (Jó 26:7). Essa descrição enfatiza a grandeza e o poder criador de Deus, que pode criar o universo do nada e mantê-lo em ordem e equilíbrio. O salmista também reconhece o poder criador de Deus quando diz: “Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras de suas mãos” (Salmo 19:1). Esses versículos enfatizam que toda a criação é um testemunho da grandeza e do poder de Deus.

Além disso, o texto de Gênesis 1:1 sugere que a criação é uma expressão do amor de Deus por sua criação. A criação de todo o universo é uma manifestação do amor e do cuidado de Deus por sua criação. O Salmo 104 descreve a criação de Deus em detalhes, incluindo a criação dos céus, dos mares e de todas as criaturas vivas. O salmo termina com uma expressão de louvor e adoração a Deus por sua criação. Isso sugere que a criação é uma expressão do amor de Deus por sua criação, que ele criou tudo para seu próprio prazer e glória.

Em resumo, o texto de Gênesis 1:1 enfatiza o poder criador de Deus, que criou o universo do nada e o sustenta com seu poder e amor. A criação é um testemunho da grandeza de Deus e uma expressão de seu amor e cuidado por sua criação.

Postagens Relacionadas